Realizar o sonho da casa própria nem sempre é uma tarefa fácil. O valor do investimento total necessário para comprar um imóvel é muito elevado, assustando a maioria das pessoas que temem o endividamento. Se esse é o seu caso, você precisa entender como funciona o Minha Casa Minha Vida (MCMV).

É provável que você já tenha ouvido falar desse programa. Na última década, ele se tornou sinônimo de realização pessoal para milhões de brasileiros. No entanto, se você está interessado em comprar um imóvel e deseja contar com o MCMV, é importante saber as exigências para adesão.

Para ajudá-lo, preparamos um artigo completo sobre o tema. Basta lê-lo até o final para ficar por dentro das regras do programa. Boa leitura!

Como funciona o Minha casa Minha Vida: dados sobre o programa

O Minha Casa Minha Vida é um programa social, portanto, seu objetivo é facilitar o acesso à moradia própria por meio de crédito oferecido pela Caixa.

Contudo o programa beneficia pessoas de diversas faixas de renda, incluindo a classe média. Para cada faixa, existem exigências específicas, além de diferenças na taxa de juros que será cobrada pelo financiamento.

O programa está disponível em cidades com mais de 50 mil habitantes. Portanto, o primeiro passo é procurar a prefeitura de sua cidade para fazer um cadastro no programa de habitação. Esse cadastro é uma exigência, principalmente para as pessoas com renda familiar de até R$ 1800.

Faixa 1

Em 2018, o Governo Federal alterou o valor da renda familiar mínima das pessoas que podem participar da Faixa 1 do programa. Agora, esse valor é de até R$1800.

Nesse caso, os participantes recebem subsídio de 100%, portanto, não pagam juros e têm até 10 anos para fazer o pagamento da dívida.

Faixa 1,5

Nessa faixa, existe cobrança de juros: 5% ao ano. As famílias precisam ter renda familiar máxima de R$ 2.600.

Faixa 2

O valor dos juros para os participantes da Faixa 2 pode variar de 5,5% a 7% ao ano. Para poder participar dessa faixa do Minha Casa Minha Vida, a família deve ter renda máxima de R$ 4 mil.

Faixa 3

A renda familiar máxima para poder ser atendido pelo Minha Casa Minha Vida passa a ser de R$ 9 mil. Para quem tem renda família entre R$ 4 mil e R$ 7 mil, a taxa de juros anual é de 8,16%. Para aqueles que possuem renda superior a R$ 7 mil, chegando ao teto máximo de R$ 9 mil, a taxa de juros é de 9,16% ao ano.

Agora que você sabe como funciona o Minha Casa Minha Vida, deve ter percebido que ficou mais fácil realizar o sonho da casa própria. O Governo Federal permitiu que pessoas com renda superior tivessem acesso ao programa.

Com isso, pessoas da classe média foram beneficiadas pelas taxas de juros reduzidas. Somado ao fato de que a oferta de imóveis cresceu devido à crise, o Brasil apresenta um cenário favorável para quem quer comprar sua primeira casa.

Como participar do Minha Casa Minha Vida não é única forma de realizar esse sonho, nós preparamos um artigo com seis dicas para você comprar um imóvel. Leia agora mesmo!

Escreva um comentário