Um dos comportamentos naturais de uma pessoa diante de uma compra é avaliar se o preço cobrado pelo produto é justo. Ninguém quer fazer um mau negócio, pagando mais caro por algo. Essa conduta também vale na hora de analisar o valor do imóvel que será comprado.

Contudo, os itens que compõem o valor de um imóvel são complexos. Imóveis com características semelhantes podem ter preços totalmente diferentes. Para ajudá-lo a entender mais sobre esse tema, decidimos publicar este artigo. Acompanhe!

Conservação do imóvel

Um dos primeiros aspectos que influenciam o valor do imóvel é a sua conservação — e isso também vale para imóveis novos. Imóveis malconservados exigem reformas, e isso pode pesar no bolso do comprador.

Em relação aos imóveis novos, lembre-se de que eles contam com uma garantia da construtora, que pode chegar a cinco anos, dependendo do defeito. Nos imóveis usados, o comprador deve fazer uma vistoria atenciosa, avaliando não só a fachada, mas também a rede hidráulica, a elétrica, os pisos etc.

Localização do imóvel

O endereço de uma casa, um terreno ou apartamento é a característica que mais contribui para as mudanças do valor desse imóvel. Quanto mais disputado for o endereço, mais caro ele será — não há como fugir dessa regra. Por isso, endereços muito procurados podem ter imóveis menores, já que, para atender à demanda, as construtoras precisam entregar mais unidades. Por isso, questione-se se você realmente precisa morar naquela região.

Tamanho do imóvel

Nem sempre os imóveis maiores são os mais caros. Esse elemento da equação anda de mãos dadas com a localização. O preço do metro quadrado de uma região determinará o quão cara será a propriedade.

Para fazer um bom negócio, o comprador precisa comprar o imóvel cujo tamanho seja o ideal para os seus planos. Se você acabou de se casar e sonha em ter filhos, talvez não seja uma boa ideia adquirir um pequeno apartamento — ainda que ele custe menos do que uma casa.

Opinião de profissionais

Quando uma pessoa vai investir seu dinheiro, ela procura a ajuda de profissionais que entendam sobre o mercado financeiro. Com a compra de imóveis, o mesmo deve ocorrer. Existem muitas oportunidades na cidade, e não dá para uma pessoa comum, sem experiência no mercado imobiliário, acompanhá-las. O ideal é conversar com um profissional imobiliário, como um corretor de imóveis, para que ele as liste para você.

Custo e benefício

Nem sempre as opções mais caras são as melhores. É importante avaliar o custo em relação ao benefício que se ganhará na compra. Nesse caso, os imóveis em condomínios fechados podem ser um excelente negócio, uma vez que contam com infraestrutura de limpeza, segurança e lazer.

Torna-se muito caro para uma pessoa comprar um imóvel e investir do próprio bolso para conseguir ter a mesma qualidade que se tem em um condomínio fechado.

Adequação do imóvel

Existem imóveis que estão completamente inadequados para as demandas de hoje. Disposição de cômodos, número de tomadas, quantidade de vagas na garagem etc. Para adequá-los, é necessária uma grande reforma. Isso até pode valer a pena, desde que o comprador inclua esse custo no valor do imóvel, durante o processo de compra.

São muitas coisas que devem ser avaliadas na hora de verificar o valor do imóvel dos seus sonhos. Por isso, evite a compra por impulso e analise todos os fatores antes de fechar o negócio.

Quer manter-se sempre bem-informado sobre o mercado imobiliário? Então, assine nossa newsletter.

Escreva um comentário