Negociar imóvel direto com o proprietário pode até parecer vantajoso em um primeiro momento, por conta da possibilidade de economizar o valor da comissão. Entretanto, o barato pode sair muito mais caro do que o previsto, pois é muito grande a chance de que essa negociação não seja a mais adequada.

A lista de problemas que podem surgir com esse tipo de negociação é bem-extensa. Entre eles, o de o imóvel não ter a documentação adequada ao de a possibilidade de cair em golpes imobiliários.

No decorrer do texto, mostramos quatro riscos que esse tipo negociação pode expor o comprador. Acompanhe a leitura!

Entenda como funciona o processo de compra de imóvel

A compra de um imóvel envolve uma série de atividades e processos burocráticos. Na etapa de busca pela residência ideal, são feitas inúmeras visitas às diversas opções até que atenda às necessidades do comprador.

Depois, inicia-se o processo de negociação e fechamento do negócio. Nesse momento, é necessário providenciar uma série de documentações para fazer o financiamento bancário e atualizar a documentação no Cartório de Registro de Imóveis.

O ideal é que cada uma dessas etapas seja acompanhada por um profissional especializado, pois o risco de que aconteça algum problema é muito grande.

Conheça os riscos de negociar imóvel direto com o proprietário

Existem diversas situações que podem atrapalhar a conclusão do negócio ou, até mesmo, fazer com que o comprador perca o seu dinheiro. Confira!

1. Documentação inadequada

Imóveis com documentação inadequada é um dos problemas mais comuns e variados. Isso porque o imóvel em questão pode estar com a documentação desatualizada, ou seja, na prática, o bem está no nome do antigo proprietário.

Outro problema muito comum com a documentação é quando há disputas em família pela herança. Nessa situação, se o imóvel é vendido sem que todos os herdeiros concordem com a venda, a venda poderá ser anulada. Dá para imaginar o transtorno dessa situação!

É importante dizer que existem outras situações que podem significar que a documentação esteja irregular, essas foram apenas algumas das possibilidades.

2. Imóvel mais caro que o valor de mercado

Para escolher o imóvel ideal, é preciso observar uma série de elementos, como a sua conservação, a localização, o tempo de construção, a posição em relação ao sol, entre outros.

Todos esses fatores são responsáveis por determinar o valor correto de mercado. Ao comprar o imóvel direto com o vendedor, há o risco de que essa avaliação não seja feita da maneira adequada, e o comprador pagar muito mais pelo bem.

3. Descumprimento de acordos

Outro risco muito grande é o do descumprimento dos acordos firmados no contrato de compra e venda. Um exemplo é o prazo para desocupar o imóvel, pois é comum que o vendedor more na residência durante o período da venda e tenha estipulado um prazo para a desocupação que não consiga cumprir.

4. Golpes imobiliários

Há, ainda, o risco de cair em golpes imobiliários, que pode fazer com que o comprador perca dinheiro. Infelizmente, existem criminosos especializados nesse tipo de golpe. Um dos riscos é o de comprar um imóvel  que foi vendido para outras pessoas também.

Outro risco muito comum é a solicitação de um depósito antecipado, com a desculpa de que é para garantir a negociação. Existem outras situações em que o comprador pode sair no prejuízo, como comprar imóveis que estejam desocupados e invadidos ou com a localização errada, ou inexistente. Esse golpe é muito comum na venda de lotes de terreno.

Com todas essas situações, dá para perceber que não é exagero dizer que é um risco negociar imóvel direto com o proprietário. Por isso, é importante contar com o apoio de uma consultoria especializada, capaz de oferecer todo o suporte e a segurança em cada etapa da compra do imóvel.

Agora que você já sabe a importância da ajuda profissional para adquirir um imóvel, entre em contato com a Francisco Imóveis, que teremos muito prazer em lhe atender!

Escreva um comentário