É muito comum pessoas mais novas idealizarem o sonho de morarem sozinhas. Claro que é uma ótima ideia, mas esse passo tão importante é sinônimo de independência e também de planejamento financeiro.

Por isso, temos que dizer que nem tudo são flores como vemos por aí. Tudo isso tem um custo, e ele deve estar em seu planejamento, afinal, precisamos ter tudo na ponta do lápis quando queremos tomar uma decisão como essa.

Para ajudar você nessa, vamos apresentar detalhadamente os custos de morar sozinho. Depois é só analisar a melhor opção que caiba no seu bolso. Vamos lá?

Avalie o valor do aluguel

O aluguel é o custo que mais pesa no orçamento mensal de qualquer pessoa, por isso, tenha em mente que deve ser um valor acessível para você. Dessa forma, pense sobre o tamanho do local e a localização.

Isso porque esses são dois fatores que influenciam e muito no valor final do aluguel. Lugares mais centrais e bairros com grande oferta de áreas comerciais geralmente sobem o preço. É importante levar em consideração se o seu trabalho é perto ou não do imóvel em que você está de olho, pois às vezes compensa direcionar o dinheiro para um aluguel mais caro em vez de despender tempo e dinheiro com transporte para chegar ao serviço.

Além disso, se a sua opção de moradia envolve o pagamento de condomínio, lembre-se de incluir o valor desse custo mensal. O IPTU também entra nesse gasto com aluguel.

Separe os valores referente às contas básicas

Além do aluguel e condomínio, é necessário incluir os custos com água, luz, gás e internet. Eles são essenciais e devem fazer parte do seu planejamento. Por isso, faça um cálculo para identificar o gasto médio com essas contas. Outro ponto é que a água pode estar inclusa no condomínio, avalie isso também na hora da busca.

Dependendo de onde você vai morar, o gás pode ser encanado e pago mensalmente, caso contrário, terá que direcionar um valor para o botijão, que geralmente dura mais de um mês, ainda mais se a sua rotina permite trabalhar fora, bem como fazer suas refeições em restaurantes.

A luz é algo que pesa em nosso orçamento, entretanto, com algumas mudanças de hábito, é possível economizar e manter tudo dentro do seu orçamento. Por fim, a internet também entra como um custo básico, até porque, atualmente, dependemos dela para quase tudo.

Lembre-se também do mercado

Fazer compras também deve estar no seu planejamento. Leve em consideração que fazer mercado chega a ser mais econômico que almoçar e jantar fora ou pedir delivery. Estipule um valor mensal para isso e foque em produtos essenciais para a sua alimentação.

Esse tipo de custo entra como despesa variável, uma vez que não conseguimos prever aumento de preços e o que vai ser comprado em algum mês e outro não.

Como você pode ver até aqui, são muitos pontos a serem pensados e que entram nos custos de morar sozinho. Por isso, avalie muito bem e não se esqueça de incluir gastos com lazer, que também é importante.

Uma saída para diminuir os custos de morar sozinho é dividir o aluguel com outra pessoa. Para saber mais sobre isso, confira este outro post!

Escreva um comentário