Como comprar casa própria? Essa pergunta é feita todos os dias por milhões de brasileiros que não entendem como funcionam as opções de crédito existentes no mercado. Se esse é o seu caso, este artigo poderá ajudá-lo.

Reunimos as principais informações sobre formas de pagamento e documentação para tirar suas dúvidas e ajudá-lo na missão de realizar o sonho da casa própria. Basta ler este guia até o fim.

Como comprar casa própria: pagamento à vista

Nessa opção, o comprador terá que arcar com o custo total do investimento. Além disso, é necessário ter em mente que algumas taxas também deverão ser pagas, como Imposto de Transmissão de Bens e Imóveis (ITBI).

O ITBI é um imposto municipal que pode custar até 4% do valor total do imóvel. Sem o seu pagamento, não é possível transferir a titularidade da propriedade imobiliária. Por isso, o comprador já deve calcular o impacto desse custo no investimento.

Financiamento bancário

Como comprar casa própria é um grande investimento financeiro, muitas pessoas recorrem aos financiamentos bancários. O mais popular deles é o Minha Casa Minha Vida (MCMV), oferecido pela Caixa.

Para participar do MCMV o comprador precisa ter renda familiar mensal mínima de R$ 1800 e máxima de R$ 9000. Contudo, outros bancos também oferecem linhas de crédito para financiamento imobiliário. Um estudo divulgado pela revista Exame mostrou que o crédito oferecido às pessoas que desejam fazer um financiamento imobiliário cresceu em média 20% em 2017. 

Nesse cálculo são considerados dois fatores: renda familiar mensal e o valor da entrada. São esses indicadores que definirão o preço máximo do imóvel que poderá ser objeto do financiamento. 

Para aproveitar essa oportunidade, o consumidor precisa de planejamento financeiro. Nessa modalidade, você pode usar recursos do FGTS e da Poupança para dar de entrada na compra.

Além disso, é possível financiar até 70% do valor de um imóvel usado e 80% do custo total de um imóvel novo. O financiamento bancário pode durar, no máximo, 30 anos.

Permuta de imóveis

Como comprar a casa própria é um grande investimento, em muitos casos, o comprador precisa levantar capital vendendo bens como: terrenos, casas ou automóveis, por exemplo. Isso é necessário para alcançar determinada quantia financeira.

Contudo, em vez de perder tempo nesse processo de venda, o investidor pode oferecer esses mesmos bens como forma de pagamento na hora de comprar uma casa. Trata-se da permuta.

Engana-se quem pensa que esse tipo de negociação se dá apenas entre pequenos proprietários. Empresas interessadas na aquisição de terrenos para construção de edifícios, por exemplo, costumam oferecer unidades prontas como forma de pagamento pelo espaço.

Em alguns casos, os bens do comprador não são suficientes para comprar uma casa, mas, ainda assim, a permuta pode ajudá-lo a diminuir consideravelmente o valor em espécie que precisará ser desembolsado.

Outra vantagem da permuta é que ela é isenta de Imposto de Renda quando paga integralmente a compra do imóvel. Todavia, também existem pontos negativos. É muito importante que as duas partes fiquem atentas à possível supervalorização imobiliária.

Por isso, uma análise cuidadosa se faz necessária para descobrir o valor de mercado dos itens negociados.

Como vimos neste artigo, comprar casa própria exige informação e planejamento. Afinal, são muitas as opções disponíveis para investir no mercado imobiliário.

Por isso, a Francisco Imóveis criou uma newsletter informativa para ajudá-lo. Se você quer receber informações sobre o setor e dicas imobiliárias para ficar bem atualizado sobre o mercado de imóveis, assine agora mesmo. É de graça.