Suponhamos que você precisa se mudar a trabalho e encontrou um imóvel adequado às suas necessidades. Tudo parece dar certo para a sua mudança, até que surge um grande problema: ninguém aceita ser o seu avalista ou fiador. Surge, então, a pergunta: existe a possibilidade de fechar um aluguel sem fiador? A resposta é sim!

Porém, é preciso entender como esse processo funciona, principalmente o que é relacionado ao seguro fiança, bem como o que envolve as taxas de locação de imóveis. Saiba que a Lei do Inquilinato dá ao proprietário de um imóvel o direito de exigir uma garantia de pagamento.

O que acha de aprender mais sobre o assunto? Continue acompanhando o post para entender melhor como é possível fornecer essa garantia sem optar pela escolha de um fiador. Boa leitura!

Quais são as maneiras de negociar um aluguel?

Para você entender melhor, podemos listar aqui 3 maneiras de garantir a negociação que, obviamente, são garantidas por Lei:

Como sabemos que nem sempre é possível contar com um cheque caução ou ter um fiador, vamos falar mais sobre o seguro fiança nos próximos tópicos para que você possa entender como essa modalidade funciona de fato.

O que é o seguro fiança?

Antes de você saber mais sobre as taxas de locação de imóveis, vamos falar mais sobre o seguro fiança. Saiba que, entre as opções de garantia previstas na Lei do Inquilinato, o seguro fiança tem se tornado a mais popular.

Para quem ainda não conhece, trata-se de um produto financeiro semelhante às outras modalidades de seguro que existem — como o de vida, automóvel, casa e muitos outros.

Quando o inquilino opta pelo seguro fiança, a seguradora arcará com as despesas do aluguel caso o morador tenha alguma dificuldade financeira. O beneficiário do seguro é o proprietário do imóvel que receberá o pagamento em até 40 dias depois de acionada a seguradora. Simples, não é mesmo?

Quais são as vantagens do seguro fiança?

Agora que você já sabe um pouco mais sobre o que é o seguro fiança, vamos falar melhor sobre as suas vantagens. Saiba que a principal delas é de, simplesmente, livrar o inquilino do constrangimento de ter de recorrer a amigos e familiares para alugar um imóvel.

Afinal, vivemos tempos em que a economia é frágil, o que torna esse tipo de pedido algo muito difícil, podendo criar desentendimentos entre pessoas próximas e queridas em uma situação que pode ser muito chata.

A segunda vantagem está na agilidade de contratar um seguro. O interessado deve pesquisar as empresas que oferecem o serviço, optando por aquela que der mais vantagens a ele. Em seguida, ele deve providenciar documentos simples— RG, CPF, comprovante de renda, Imposto de Renda etc. O processo de aprovação costuma ser rápido.

Listamos como terceira vantagem os serviços extras que podem estar inclusos na cobertura desse seguro, tal como: chaveiro, eletricista, encanador, entre outros. Para atrair os clientes, as empresas costumam disponibilizar vantagens em seus pacotes.

Então, vale a pena o consumidor avaliar, uma vez que essas conveniências podem ser bem mais caras quando contratadas individualmente. Por isso, vale a pena parar um tempo para analisar essa questão de forma objetiva.

Além disso, muitas empresas garantem a pintura completa do imóvel. Essa característica é, em particular, muito útil aos locatários, pois se trata de uma obrigação presente na maioria dos contratos de aluguel.

Qual são as desvantagens do seguro fiança?

Obviamente nem tudo são flores, pois o seguro fiança também conta com desvantagens. Entre elas destacamos uma que é a que mais pode afetar a vida das pessoas. Estamos falando de ter de gastar um pouco mais para alugar o imóvel.

Na prática, o valor do seguro fiança equivale a até dois meses de aluguel. Logicamente, esse custo pode mudar de acordo com o tamanho do imóvel ou a sua localização.

Sabemos que nem todos possuem uma realidade financeira de ter de pagar praticamente 2 meses de aluguel adiantado.

Quais são as outras taxas de locação de imóveis?

Por fim, vamos listar quais são as outras taxas de locação de imóveis, além de outras despesas que deverão ser pagas pelo inquilino, principalmente quando o aluguel é feito com o intermédio da imobiliária.

Taxa de condomínio

A primeira taxa que é de responsabilidade do locatário é a que corresponde ao condomínio, caso o imóvel esteja dentro dessa estrutura. Saiba que, quando o imóvel é alugado, essa responsabilidade não é mais do proprietário.

Então, tenha em mente que todos os meses, além do custo com o aluguel, haverá mais esse custo que deve ser colocado na ponta do lápis.

Taxa de administração da imobiliária

Outra despesa importante é a taxa de administração da imobiliária que, na maioria das vezes, está embutida no aluguel. Ou seja, ao realizar o pagamento para a imobiliária, saiba que nem tudo corresponde ao real valor do aluguel. Uma pequena parcela é referente a essa taxa de administração.

Impostos

Outra responsabilidade do inquilino é pagar os impostos referentes à moradia, sendo o mais importante deles o IPTU (Imposto Territorial Urbano), que pode ser pago à vista (com desconto) ou de forma parcelada, dependendo do município do imóvel.

Gastos fixos, de manutenção e reformas

Por fim, não poderíamos deixar de citar aqui as contas referentes à manutenção do imóvel, possíveis reformas para adequá-lo às necessidades dos novos moradores, bem como os gastos fixos: conta de luz, de água, internet, entre outros.

Como vimos neste artigo, o aluguel sem fiador é uma realidade. Muitas pessoas perdem boas oportunidades porque não conseguem um avalista a tempo de fechar o negócio. Outras estão há meses esperando a boa vontade de familiares para conseguirem se mudar. Porém, é preciso avaliar o custo-benefício de cada seguro, além das taxas de locação de imóveis que formam o custo final.

Saiba que a Francisco Imóveis oferece a possibilidade de contratação do seguro fiança, bem como outros sistemas avançados para se adequar às necessidades tanto do inquilino quanto do proprietário.

Quer saber mais como podemos ajudá-lo? Então, entre em contato conosco e fale com os nossos especialistas.

Escreva um comentário